quinta-feira, novembro 25, 2004

As pessoas que moram nos gatos

Um gato nunca é apenas um gato. É preciso que as pessoas compreendam que cada um dos gatos deste mundo guarda em si um quê de personalidade, ainda que se questione isso posto que apenas “pessoas” podem ter “personalidade”. Eis o xis da questão: um gato é também uma pessoa.

O eminente pesquisador Otto K. tem uma teoria curiosa acerca do caráter humano dos gatos. Ele crê na metempsicose e acredita que os gatos são os verdadeiros depositários das almas humanas quando estas deixam os corpos de homens e de mulheres. As almas que precisam aprender alguma coisa sobre a profundidade da existência acabam reencarnando em forma de gato. Gostaria, neste ponto, de lembrar aos incrédulos que o professor Otto já teve artigos publicados na Nature (ainda que, desta vez, eu não acredite que será novamente agraciado com o respaldo desta respeitosa publicação).

Isso nos leva a compreender porque certos gatos são tão temperamentais, ou porque parecem detestar certas pessoas e amar outras, ou ainda porque são eles, e não os donos, que decidem onde e quando vão dormir a siesta. Crer na teoria do professor Otto nos torna pelo menos mais tranqüilos em relação aos hábitos dos nossos gatos, porém nos dá um novo problema, que é tentar adivinhar como não ferir os sentimentos da pessoa que se oculta no bichano. Não é possível, em nossa sociedade, levar os gatos a comer à mesa, por exemplo. Gatos são gatos, ainda que sejam também pessoas, mas são pessoas apenas por dentro enquanto que do lado de fora são simplesmente gatos, com as devidas diferenças que os tornam pouco aptos para levarem uma vida externa comum aos humanos.

Isso, infelizmente, condena ao encarceramento o humano que existe nos gatos. A não ser, claro, que um dia eles comecem a falar. Para o nosso próprio bem, é melhor que isso jamais aconteça.


[Marpessa]

4 comentários:

Júlio disse...

Oras...

Andréa Muroni disse...

Não me interessam os artigos Nature desse tal Otto K ou coisa que o valha. Pessoalmente não concordo com absolutamente idéia nenhuma contida nesta teoria.
Sabes muito bem que sou amante dos bichanos. Mas que os gatos são "depositários" das almas humanas, isso não. Como desmerecer tao enormemente a categoria felina, restringí-los a meros invólucros? É absurdo. E desumano.

Marpessa disse...

tá tá tá.

Anônimo disse...

sobre o post anterior
(domingo..)
considerando-se que as pessoas em geral possuem o costume de sair no sabado a noite, e que estas mesmas pessoas - que, acredito, constituem a maioria - costumam acordar de ressaca no domingo, e considerando-se tambem que eu gosto de velvet underground, poderia acrescentar-se, a gosto, doses da musica Sunday Morning.